BLOG DA SOCIEDADE
BRASILEIRA DE IMUNOLOGIA
Acompanhe-nos:

Translate

quarta-feira, 19 de junho de 2013

Duas coisas



Eu só ia escrever sobre a importância da gente homenagear em vida as pessoas que nos inspiram, tanto na vida quanto no trabalho. Mas tem muita coisa acontecendo então vou falar rapidinho de 2 coisas.

No mês passado tive a honra e o encanto de participar de uma homenagem a Feruccio Ritossa, o italiano que descreveu a resposta ao choque de calor, ou heat shock response. Este é o fenômeno mais conservado evolutivamente que existe, e foi a primeira grande descoberta dos italianos na era moderna – ou desde sempre, se quiserem ser muito críticos.  O Ritossa aos 60 anos largou a ciência pra se dedicar à escultura, do que vive até hoje, aos 80 e tantos anos. Então o congresso foi num museu em Roma, o Ara Pacis, da Deusa da Paz, indescritivel a emoção essa mistura de ciência e arte (nunca tinha visto isso), e de heat shock, minha paixão desde a iniciação científica. Lindo o pessoal celebrando o trabalho uns dos outros, mesmo da competição. João, não foi a Polly que falou que competição a gente tem que celebrar porque ela nos faz melhores? Assino embaixo. E os pioneiros tem que homenagear e celebrar sempre, pois são eles que dão aqueles saltos que nos permitem avançar anos luz na direção certa. Ele, como a maioria dos pioneiros, não tinha noção do passo que estava dando, e ficou perplexo com a homenagem, ainda que feliz.

Mas como não vou falar das manifestações na rua? Gente, eu que fui do movimento estudantil na época do abaixo a ditadura, vejo agora meus alunos felizes, calmos, e animados se manifestando por um Brasil melhor. O Brasil melhorou muuuuuito desde a ditadura. E o PT, agora governo, que antes estava  sempre à frente desses movimentos, hoje enfrenta – acho eu – seu momento decisivo. Ou se coloca ao lado da manifestação, ouve, e muda onde tem que mudar, ou infelizmente, a última esperança de liderança politica sincera (que eu tenho, sei que tem gente que não tem) vai se dissolver. É agora ou nunca, tudo. Muda o Brasil, e acorda o PT, agora.  Até porque tudo o que este governo sempre quis foi esse tipo de mudança que as pessoas estão pedindo.  As pessoas hoje, vivendo num Brasil democrático, não precisam mais de partidos politicos pra se organizar. Mas os que existem, ou estão legitimamente comprometidos com a mudança, ou vão sumir. E os cientistas brasileiros tem que se manifestar também. Como o Ritossa, acho que não temos noção de onde essas mudanças podem nos levar. Mas estou pronta pra dar um salto de alguns anos luz, e louca pra ver tudo o que o Brasil pode ser.

Comente com o Facebook :

2 comentários:

  1. Maria Bellio (UFRJ)19 de junho de 2013 16:12

    Querida Cris,
    gostei de saber algo sobre o Feruccio Ritossa e HSR, obrigada pelo post.
    Vc tem razão, a contribuição da Italia não é enorme na nossa área: dos 20 prêmios Nobel q os italianos têm, apenas 6 foram em Fisiologia/Medicina, mas um deles D. Bovet, era nascido na Suiça e foi trabalhar na Italia 10 anos antes de ganhar o Nobel. Por outro lado, outros nasceram e se formaram na Italia mas foram trabalhar nos EUA...Quem sabe agora c/o CSF, algum de nossos jovens tb não vai ganhar o prêmio? O Dr Chagas deveria ter sido contemplado, certamente, mas parece q foi boicotado por outros brasileiros (vai ver q eram de partidos diferentes...).
    Bjs,
    Maria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Maria o Chagas realmente não se entende ele não ter. Tenho fé sim que sairão premios pro Brasil. Mas politics is a bitch! Bjo

      Excluir

©SBI Sociedade Brasileira de Imunologia. Desenvolvido por: