BLOG DA SOCIEDADE
BRASILEIRA DE IMUNOLOGIA
Acompanhe-nos:

Translate

quarta-feira, 7 de março de 2012

NÓS, OS EOSINÓFILOS, SOMOS MUITO MAIS INUSITADOS!!!!!




No útimo dia 04 de março o Prof. João Santana e colaboradores escreveram um post sobre os neutrófilos e suas diferentes facetas. Após ler o texto, decidi hoje escrever sobre os eosinófilos (não entendo porque não fiz isso antes!!!!) e manter a discussão no tema “Os Camaleões da Imunologia”. Sempre trabalhei com a resposta alérgica e durante meu pós-doc em Boston trabalhei muito com o eosinófilo humano isolado e seus mecanismos de ativação, signaling e secreção. Os eosinófilos durante muito tempo foram considerados células terminais típicas das respostas Th2 estando envolvidos nas manifestações alérgicas e resposta anti-helmíntica. Entretanto, mais recentemente, várias funções imunomoduladoras foram descritas para este fabuloso granulócito. Assim como os neutrófilos, os eosinófilos também liberam redes (nets) de DNA que  juntamente com proteínas catiônicas secretadas por eles (como a ECP – eosinophil cationic protein) formam verdadeiras armadilhas para bactérias. Os eosinófilos também possuem uma gama de citocinas e quimiocinas pré-formadas incluindo IL-4, IL-5, IL-13, eotaxina, IL-12, IL-10, IFN-g estocadas em seus grânulos citoplasmáticos. IL-12 e IL-10? IFN-g? Não, não estou louca. Apesar de caracteristicamente participar de respostas tipo Th2, os eosinófilos possuem um estoque de citocinas típicas Th1. Hoje já é bem descrito que os eosinófilos liberam suas proteínas pré-formadas seletivamente e de maneira estímulo-dependente, sendo perfeitamente capazes de, por exemplo, liberar IL-12 sem necessariamente secretar IL-4. A desgranulação por piecemeal parece ser o principal mecanismo secretório envolvido. Dentro desse contexto, sugere-se que, além de sua participação nas respostas tipo Th2, os eosinófilos também tem um novo e fascinante papel imunoregulador.
Além disso, assim como o descrito para os neutrófilos, já há algum tempo se vem descrevendo a capacidade dos eosinófilos de funcionar como células apresentadoras de antígeno. E tem muito mais!!!!!!
Durante meu pós-doc em Boston, no laboratório do Dr. Peter Weller (Harvard Medical School), trabalhamos com a fascinante hipótese de que os grânulos isolados dos eosinófilos seriam capazes de funcionar como organelas secretórias independentes. Os grânulos do eosinófilo são também conhecidos como grânulos específicos ou secundários e como já disse anteriormente possuem uma variedade de proteínas pré-formadas em seu interior. Mostramos que esses grânulos, após lise celular e purificação, expressam receptores funcionais em suas membranas para eotaxina (CCR3), IFN-g (cadeia a do receptor de IFN-g) e leucotrienos cisteínicos (receptores CysLT1 e CysLT2). Após interação com seus ligantes, estes receptores ativam moléculas de sinalização intracelular promovendo secreção granular. Dessa forma mostramos pela primeira vez que uma organela intracelular pode funcionar extacelularmente de maneira independente da célula de origem, neste caso, possivelmente como um mecanismo de amplificação e perpetuação da resposta inflamatória. Poderia ficar aqui e escrever páginas e páginas sobre esta fascinante célula e seus grânulos inusitados. Mas deixo as perguntas:

Qual a seria a função desses receptores funcionais expressos nas membranas dos grânulos quando estes estão no citoplasma do eosinófilo e não livres nos tecidos ou isolados? Teriam os ligantes acesso a esses receptores nesta situação? Os grânulos dos neutrófilos ou mastócitos  tem essa mesma capacidade funcional?


Te mete neutrofilo!!!! Nós, os eosinófilos, somos muito mais inusitados!!!!!

Artigos de referência

Eosinophils and Th2 immunity, Immunol Cell Biol, (3) 250-256, 2010.


Catapult-like release of mitochondrial DNA by eosinophil contributes to antibacterial defense, Nat Med, (9) 949-953, 2008.

Proc Natl Acad Sci U S A., (47) 18478-18483, 2008

Cysteinyl leukotrienes acting via granule membrane-expressed receptors elicit secretion from within cell-free human eosinophil granules., J Allerg Cli Immunol, (2) 477-482, 2010.

Functional extracellular eosinophil granules: novel implications in eosinophil immunobiology., Curr Opin Immunol. (6), 694-699, 2009.


Comente com o Facebook :

12 comentários:

  1. Vanessa Carregaro7 de março de 2012 16:07

    Oi Josiane, muito bom o seu post. Não sei qual destas células é a mais versátil. Só tá faltando uma célula virar a outra.
    Mas Fica aí um assunto para proximos journals da IBA-FMRP: Os eosinófilos.

    ResponderExcluir
  2. Olá Vanessa Que bom que gostou!!! Os eosinófilos são células muito interessantes e acredito que eles ainda podem nos mostrar muitas coisas interessantes que podem mudar nossos atuais dogmas em relação a cell signaling!!!

    ResponderExcluir
  3. Muita qualidade nesse post!!!! Gostei muito!!!!! Acho que os ligantes poderiam sim ter acesso a esses receptores, afinal esses receptores existem apenas quando no citoplasma celular, e não livres no tecido, sugerindo que os mesmos existem para exercerem alguma função. Outra questão que não faço a menor idéia, sou leiga no assunto, esses grânulos dos eosinófilos parecem fisico/química/estrutura com os dos neutrófilos e mastócitos????? Se sim acho que muito provavelmente os mastócitos e neutrófilos possam ter a mesma coisa sendo que condicionado para as suas respectivas funções…

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá

      Ultraestruturalmente os grânulos dos eosinófilos diferentemente dos outros leucócitos apresentam um core cristalino rodeado por matriz. Além disso já temos evidências que esses grânulos possuem estruturas membranares em seu interior, o que sugere ser uma estrutura subcompartimentalizada. Do ponto de vista físico, químico e estrutural acredito que existam grandes diferenças entre os grânulos dessas diferentes células. Entretanto não descarto a hipótese de que dentro de suas características e funções os grânulos desses leucócitos também possar ter papéis funcionais outros que não aquele de simples store stations.

      Excluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Oi Josiane, gostei pra caramba do seu post. Realmente, sabemos muito pouco do que nos foi ensinado, e o que foi ensinado é quase nada do que realmente é! Por isso que hj, com novas tecnologias, ou diriamos, bioengenharia tecnológica, estamos "desvendando" e "descobrindo" muitas novas moléculas e funções para células o SI que anteriormente eram determinadas e até esquecidas por um bom tempo.
    Não trabalho com neutrófilos, mas pelo que tenho estudado, neutrófilos e eosinófilos estão na crista da onda e lutam com categoria neste "Ringue" para ver quem é o vencedor, ou diríamos, o mais VERSÁTIL!

    ResponderExcluir
  6. Sim Josiane, não podemos descartar as possibildades, ainda mais se tratando de ciência... Enfim há muito o que se descobrir.... Muito bom!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  7. Nossa, eu achei tão legal! Eu jamais imaginaria um eosinofilo fazendo apresentação antigenica. Também achei bem interessante essa onda de IL-12 com IL-10, uma mistura de citocinas tão diferentes né? Nossa, muito bom. E o texto, a forma com que você escreveu foi sensacional!
    O título também chamou muito a minha atenção! Gostei demais, parabéns!

    ResponderExcluir
  8. Conhecemos muito menos do que a ponta do Iceberg imunológico !

    ResponderExcluir
  9. Amélia Silva T. de Lima11 de maio de 2012 00:35

    Olá, estou fazendo um trabalho de Imunologia, sobre os sistema imune nas infecções por helmintos. Gostaria que vc desse uma olhada nos slides, nos tópicos, vê se estou deixando muito a desejar. Sou aluna de Enfermagem, na Fits, em Maceió. Meu email é: amelinhatenorio@hotmail.com

    Agradeço atéeeeeeeeeeeee o mundo acabar se vc me ajudar. (Essa promoção só é válida se o mundo acabar em 2012.)

    Rs.

    ResponderExcluir
  10. O que a falta dessa estrutura causa?

    ResponderExcluir

©SBI Sociedade Brasileira de Imunologia. Desenvolvido por: