BLOG DA SOCIEDADE
BRASILEIRA DE IMUNOLOGIA
Acompanhe-nos:

Translate

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Preparando posters para um congresso científico (ou para que serve um poster?)

Como fiz parte da tarefa hercúlea, juntamente com Marcelo Bozza/UFRJ, de coordenar as avaliações de poster do ImunoTchê2010, gostaria aqui de fazer algumas considerações em relação ao que observei durante o processo bem como captar feed back dos atores que levaram os posters (estudantes, na sua maioria).

Inicio afirmando que os posters são uma forma popular e legítima de apresentação dos dados de sua pesquisa. Usando uma combinação de de efeitos visuais e textos, os poster são eficazes na comunicação de conceitos e resultados para uma audiência única. Importante, e que para muita gente deveria estar acima de tudo, esse momento permite o encontro com indíviduos de vários campos do conhecimento, trocas de experiência, networking, e tudo isso feito de uma maneira informal (usualmente fica mais descontraído com o ETOH servido durante).

A apresentação de posters é sem dúvida uma das primeiras oportunidades para jovens pesquisadores, estudantes, etc, apresentar seu trabalho em encontros científicos importantes, conhecer “papas-da-ciência” e serve como uma fase preparatória para publicação em revistas.

Alguns pre-requisitos devem ser seguidos e podem ser encontrados em vários locais numa pesquisa rápida no Google. Brevemente, primeiro, você deve ser muito didático e investir um bom tempo nisso. Segundo, você precisa ter uma boa capacidade de organização.

A minha sugestão é que independente da sua capacidade de i) organização, ii) didática, iii) designer gráfico, etc, a discussão científica é o mais importante e sustento aqui nesse BLOG que não pode ser perdida. Aos mais jovens: que não se deixem levar pelas atividades avaliadoras, etc. Tenho a impressão que, muitas vezes, os posters têm ganhado popularidade por causa da possibilidades premiativas em detrimento do saber científico.

Algumas sugestões:
http://www.acponline.org/residents_fellows/competitions/abstract/prepare/pos_pres.htm
http://www.youtube.com/watch?v=m02leV4gxgE

Comente com o Facebook :

12 comentários:

  1. Pena que, além de nem todos os posters terem sido avaliados no Imunotchê, esse momento importante de interação entre alunos e professores não ocorreu da forma adequada... Esse é um ponto que com certeza deve ser corrigido para o próximo SBI...

    ResponderExcluir
  2. Professor Báfica, concordo plenamente que o principal da apresentação de um poster é a discussão científica.
    Eu no meu caso adoro que passem no meu poster, porque gosto de conversar a repeito do meu trabalho e trocar informações. Além disso, muitas vezes surgem questões que você não havia pensado antes. Concordando com a Fabrine, nesse congresso a interação professor e aluno não foi muito adequada. Na próxima SBI esperamos que esse ponto seja corrigido. Vale ressaltar que as apresentações orais eram no mesmo horário que os posters, o que não é o mais apropriado. È importante valorizar cada momento desse, visto que o nosso congresso de Imunologia é anual.

    ResponderExcluir
  3. Prezadas Fabrine e GK, obrigado pelos comentários.

    Concordo que precisamos evoluir muito nas avaliações, e, há quem diga (ouvi isso muito no Imunotchê) que não deveríamos ter prêmios com o intuito de preservar a interação científica.

    O fato é que atualmente não temos fórmulas mágicas e talvez esse momento seja um bom lugar para propormos novos métodos de tornar a sessão de poster dos futuros ImunoXXXs um lugar mais interativo para o binômio professor-aluno. Espero que a chamada "maioria silenciosa" rabisque seu ponto de vista aqui. :)

    abços, André

    ResponderExcluir
  4. Báfica,

    sinceramente não observei as falhas citadas na avaliação do Imuno2010... eu acredito que foram estabelecidos critérios e os mesmos foram executados à risca.

    Contudo, observando de forma geral os congressos que tenho participado nos últimos anos, acredito que as apresentações de posteres tem realmente sido secundárias ao evento. Não vejo integração docente-aluno, docente-docente, aluno-aluno, etc.... E o pior é que a maioria esta ali com o intuito de apresentar os seus trabalhos. As áreas reservadas aos posteres geralmente estão vazias nos períodos reservados.

    Se poderia deixar uma sugestão, sugeriria que os posteres fossem posicionados nos locais nobres do evento e que os coquetéis/coffee-breaks etc fossem feitos no 'meio' destas área reservadas.

    Abraços, Tiago.

    ResponderExcluir
  5. Concordo com os comentários e aproveito a oportunidade para confessar que estou extremamente frustrado com as sessões de posters destes últimos dois anos de SBI.

    Coincidentemente ou não, nossos posters tanto no ImunoSalvador quanto no ImunoTchê não foram "visitados" por nenhum avaliador, embora houvesse a presença de muitas pessoas para discutir. No ImunoSalvador, o avaliador de última hora chegou na frente do nosso poster e disse: "vc tem 3 min pra me falar de seu trabalho, pois estou atrasado!!" Pensei comigo: o que eu posso fazer? Acho melhor nem começar professor, vai que o Sr. se interesse?

    DE NOVO, no ImunoTchê, os organizadores perceberam que nosso avaliador não havia ido ao poster (e olha que somos sócios!! outra coisa que não entendi tb), conseguiram uma gentil professora na qual ficamos um tempão conversando.

    Não quero dizer com este comentário, que apenas a visita de avaliadores é importante, mas quando marcam um horário com o congressista, principalmente para os iniciantes da ciência (e olha que a maior parte (70-80%) dos congressitas é estudante), acaba frustrando quem com tanto esmero fez o trabalho.

    De qualquer forma ainda acredito que a sessão de posters é muito importante para TODOS, novos, e experientes pesquisadores pois em nenhum outro lugar do mundo, há possibilidade de tanta troca científica!!!!!

    ResponderExcluir
  6. Concordo inteiramente na importância de sessão de painéis. Precisamos aproveitar melhor a oportunidade de discussão de dados novos.
    A minha experiência no ImunoTchê como avaliador nos painéis: visitei os painéis no horário estabelecido e só encontrei os autores em dois dos oito painéis visitados; aliás sete, pois um nem painel havia). Nos outros, ninguém.

    Quanto ao papel dos prêmios, acho que merece uma discussão em outro post, para não deixar o comentário muito longo.

    ResponderExcluir
  7. Em minha opinião, todos os expositores deveriam ser avaliados, independente de ser sócio.
    A discussão científica deve prevalecer.
    Prêmio é consequência da qualidade do trabalho exposto!

    ResponderExcluir
  8. Seguem algumas sugestões para que o próximo evento favoreça mais o interplay pesquisador/estudante:

    1. Retirar da programação oficial do evento "festa fechada para os palestrantes", pois considero uma falta de respeito com os estudantes sócios e não sócios da SBI que pagaram bem caro para estar em POA.

    2. Extinção da sala VIP.

    3. A exemplo do que ocorreu no ano passado em Salvador, poderia ser considerado novamente as sugestões de palestrantes por parte dos estudantes sócios, pois lemos papers também e muito!

    4. sessão de posters não deveria ser no mesmo horário das apresentações orais. A primeira poderia ser precedida pela apresentação de um "mastermind" para reunir o número máximo de pesquisadores/estudantes no local, seguida imediatamente pela apresentação de posters.

    5. Almoço com os palestrantes foi outra coisa bem legal que teve no Rio em 2007 e que infelizmente não houve mais nos últimos anos.

    Por último uma crítica, seguir britanicamente o horário das palestras, a maioria delas atrasaram e conversando com um dos palestrantes de fora tive que ouvir que nós brasileiros sempre começamos meia hora depois do marcado..isso deve ser observado com mais cuidado.

    Um abraço,
    Lucas

    ResponderExcluir
  9. Vou me restringir a uma parte da discussao:

    Na minha opiniao, um dos fatores que tornam a sessao de posteres chata em grandes congressos como os da SBI eh o numero absurdo de posteres. Tem muito poster. Muito. E isso exige uma logistica com capacidade de dar conta da carga. Particularmente nao sei como foi o rendimento da SBI 2010, mas lembro da de 2009. Fica muito dificil ateh de visitar todos os posteres de uma dada area e participar ativamente de uma discussao frutifera. O consolo eh que isso nao eh um fenomeno restrito aos encontros do SBI. Isso ocorre em quase todos os grandes congressos mundo afora.

    Conclusao desta parte: Claro que ajudaria muito a colocacao de posteres em locais mais atrativos que possibilitem maior interacao. Ainda assim, eh logico que a quantidade de posteres compromete sim uma interacao cientifica mais pessoal e menos mecanizada. Temos que ver o que eh melhor: menos posteres com mais discussao ou mais posteres com menos discussao.

    Quanto a premiacoes, particularmente nao concordo que a extincao das mesmas aumentariam a interacao cientifica. Uma coisa nao tem nada haver com outra. Se um dado estudante vai para o congresso com a preocupacao de adquirir um premio de poster em detrimento de uma discussao valoroza de dados, este individuo precisa repensar a maneira com que faz ciencia. De que adianta ter premios de poster em um congresso da sociedade e nao ter boa publicacao? O foco deve ser sempre a melhoria da ciencia e da maneira como eh feita a propria ciencia. O premio deve ser encarado com menos fervor e deve refletir merecimento. Sempre eh dificil avaliar merecimento, e quem jah participou de bancas avaliadoras da SBI sabe que o processo nao eh facil.

    Conclusao da segunda parte: Premio eh extra, nao deve ser o objetivo. Se o objetivo for o premio, e nao ciencia, nao tem pra que ter premio. E tenho certeza que quando se foca na boa ciencia, premios viram de uma maneira ou de outra. O premio eh para a ciencia.

    Curiosidade: Uma maneira simples (porem nao perfeita) de verificar se a SBI estah premiando bons trabalhos eh seguir e ver se os mesmos resultaram em alguma producao cientifica boa (paper). Temos que ter em mente, tambem, que ha uma longa estrada entre um resumo premiado ou nao e um paper publicado.

    O Lucas acima tambem levantou um monte de questoes que podem e devem ser discutidas.

    Boa discussao

    Um abraco

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  11. Meus comentários:

    1) Acho que a maioria dos participantes da SBI não percebem a importância da sessão de painéis e não aproveitam este espaço do congresso para trocar "figurinhas"! Já participei de alguns congressos da SBI (pelo menos 5 deles)e sempre houve pouca discussão e interesse dos participantes (alunos e pesquisadores) na sessão de painéis. Já participei de outro congresso a SBBq e fiquei impressionada pois é um congresso bem maior que o nosso, com um número muito maior de painéis, porém há muita discussão científica e interação entre pesquisadores e alunos nesta sessão.
    Neste congresso da SBI 2010 foi pior pois como avaliaram apenas os participantes sócios os painéis ficaram literalmente abandonados, dificultando ainda mais essa interação.

    2)Tb concordo com comentários acima em relação a avaliação apenas dos painéis de participantes sócios. Acho isso uma falta de respeito com os demais participantes, pois a maioria das pessoas que participam do congresso não são sócios. Acho que a SBI precisa de outras estratégias para conseguir aumentar o número de sócios.

    3) Concordo com o Lucas em relação ao almoço com os palestrantes. É uma ótima idéia para os próximos congressos!!!!

    ResponderExcluir
  12. Após ler todos os comentários acima, penso que realmente essa interação entre aluno/professor, aluno/aluno... deixou muito a desejar neste congresso. Concordo plenamente que a sessão de posters não deve coincidir com o horário das apresentações orais, pois acaba dispersando muito o público... apesar de que as apresentações orais que participei.... o público presente era relativamente pequeno...

    Em realação as premiações, concordo com a colocação do Bruno, onde a premiação deve ser uma consequência da boa ciência....

    Até mais

    ResponderExcluir

©SBI Sociedade Brasileira de Imunologia. Desenvolvido por: