BLOG DA SOCIEDADE
BRASILEIRA DE IMUNOLOGIA
Acompanhe-nos:

Translate

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Dicas básicas para elaborar relatórios e teses sem irritar seu orientador, seu assessor e a banca da sua tese


Frequentemente os estudantes enviam documentos (relatórios, dissertações, teses, resumos de congresso, etc.) para seus orientadores corrigirem. Muitas vezes o pobre corrige tudo; sofre, reclama (geralmente consigo mesmo) mas acaba corrigindo tudo. Pior é quando ele corrige com pressa e o documento segue com alguns erros... ai quem acaba reclamando é o assessor (da agência de fomento), o membro da banca, etc.

Pensando nisso, e tendo em mente que muitos dos erros são comuns (e são inerentes ao processo de aprendizado) eu preparei algumas dicas para evitar a irritação do orientador, assessor e o membro da banca.
Espero que seja útil!

 
Dicas para elaborar relatórios e teses sem irritar seu orientador,
seu assessor e a banca da sua tese.

• Use uma linguagem formal! A academia é muito mais conservadora do que os colegas do facebook.
• Evite termos coloquiais como “o próximo passo”... Procure usar: “a seguir”,“posteriormente”...
• Importante:  Evite gerúndio. “sendo importante” “vem sendo descrito”… em textos científicos use o passado ou o presente: “Foi descrito”, “é importante”...
• Evite frases longas, Saramago é muito bom nisso (frases longas separadas por virgula), mas não escreve linguagem cientifica. A linguagem cientifica tem que ser muito precisa, clara e sem nenhuma ambiguidade. Para isso frases curtas são essenciais.
Paragrafo. Digite “enter” e passe para o próximo paragrafo somente quando for mudar de assuntou ou mudar a linha de raciocínio. Evite parágrafos curtos demais, evite digitar “enter” só porque você cansou de escrever e quer uma saidinha para tomar um copo d’água.

• Legendas. Geralmente, a primeira frase da legenda descreve o resultado. Por exemplo, “Macrófagos deficientes em NLRC4 são susceptíveis à infeção por L. pneumophila”. A segunda frase descreve brevemente como o experimento foi feito e o que os símbolos significam (nessa parte também é bom definir abreviações usadas nas figuras): “Macrófagos derivados de medula óssea (BMDM) obtidos a partir de camundongos Nlrc4-/- (círculos fechados), ou de animais C57BL/6 (círculos abertos), foram infectados com L. pneumophila selvagem (cepa JR32) e cultivados por 24, 48 e 72 horas para determinação do número de UFC (Unidades formadoras de colônia)”. Depois você descreve as estatísticas: * indica ... Finalmente (isso é muito importante), mencione o número de wells (ou animais) utilizados no experimento e quantos experimentos foram feitos: “O experimento foi realizado em triplicata e representa um experimento representativo de outros 4 realizados” 

OBS. Legendas são muito importantes. Se tem uma coisa que seu assessor, ou o membro da sua banca, vai ler com certeza é a legenda das figuras. Capriche nisso pois legendas mal feitas irritam o pobre coitado.


Nomes científicos em Itálico: Leishmania amazonensis. Somente a primeira letra do nome do gênero em maiúscula. Na primeira vez que for se referir a espécie pode listar nome do gênero: Leishmania amazonensis, nas outras só L. amazonensis.

 • Nome de proteína: Naip5  (primeira maiúscula somente, sem itálico)
• Nome de gene: naip5 (todas minúsculas em itálico)
• Geralmente usa-se itálico também para in vitro, in vivo e ex vivo, etc.

Outras dicas importantes:
• Passe um corretor ortográfico, já vem no próprio programa e não custa nada...
Releia tudo que você escreveu com calma... se for possível “engavete” seu texto por uns dias e releia-o.  Vai ver que você mesmo pode corrigir um monte de coisas nele. Poupe o pobre do seu orientador.
Citações: Procure citar sempre os artigos originais, os primeiros a serem publicados. Evite revisões, dê o credito aos autores que demonstraram a observação original.  IMPORTANTE: use programas como Endnote ou Reference manager. Em plena era digital, é uma loucura fazer isso manualmente.
• Nunca ache que você pode entregar “qualquer coisa” para o seu orientador porque ele vai corrigir de qualquer forma. Se você foi aceito(a) no lab é porque seu orientador sabe do seu potencial. Portanto, entregue o melhor que você puder.
• Ultimo e mais importante, evite entregar para o seu orientador no sábado a noite. Ele também é humano e também tem direito a descansar no domingo. Inicie uma semana antes, assim você entrega lá pela quarta feira e ele vai ficar muito feliz.

Comente com o Facebook :

6 comentários:

  1. Excelente texto!
    Dá pra seguir mesmo como regras práticas.
    Parabéns

    ResponderExcluir
  2. Obrigado Marvin!
    Um abraço,
    Dario.

    ResponderExcluir
  3. Bem legal, mas estava lembrando que dependendo da espécie muda um pouco o formato para nomenclatura de genes e proteínas. Sei que não é a fonte mais confiável, mas está aqui resumido:
    en.wikipedia.org/wiki/Gene_nomenclature#Vertebrate_gene_and_protein_symbol_conventions

    ResponderExcluir
  4. Eu adicionaria: não faça do seu trabalho uma colcha de retalhos. Esqueça o CTRL-C / CTRL-V e produza um texto novo, a partir do que você aprendeu da leitura do artigo, livro, etc.

    ResponderExcluir

©SBI Sociedade Brasileira de Imunologia. Desenvolvido por: